domingo, 23 de fevereiro de 2014

TORTURA



Entre os meus braços te fizeste homem
Como querias isso meu amado!
Até sonhavas em me galopar...

Te torturei eu sei antes que a vida
Fosse flagrada em tua sede louca

E te mordesse  os beijos sem beijar...

Quantos degraus subimos nos abismos
Onde ansioso te estourava a roupa
Sofreguidão do genital de amar...

E leste direitinho o meu poema
No enrolar d'uma paixão suprema
Te usei por tema e fiz-te delirar!


Dorothy de Castro


1 comentários:

evandro junior disse...

Passando para comentar a beleza imensa do teu poetar, amiga, deveras lindos os teus versos que enchem os olhos dos leitores.

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute