segunda-feira, 17 de abril de 2017

BALLA COMO SE NESSUNO TE GUARDASSE"

quarta-feira, 12 de abril de 2017

"NESTE MAR DE AMOR"

Estou olhando seus olhos,
estou olhando...
Quase esquecida estou,
de tantas dores...

Aqui e agora,
nessa mesma hora...
sentindo a paz do amor,
És meu poeta...

O meu cantor eterno,
temos reinado nessa escravidão,
Somos o rio e a estrada
que caminha...

Irei contigo e seremos pares,
à passear sob o clarão da lua,
te sentirei como um presente meu,
seja o que for, seja o meu amor...

O que queremos ser,
no sopro desse vento,
na alvura que ofereço,
seus braços me envolvendo...

E nos faremos livres,
qual sonho que já temos,
de alegria rara de fantasia
plena, na harmonia doce...

Onde és meu homem, 
pai, amigo e filho 
da ternura, aquele que me tem,
maior amor...

Irei contigo e serás meu par,
O meu abrigo, meu melhor amigo,
Irás comigo, pra qualquer lugar,
E onde eu estiver,tu hás de estar..

Ah, meu amado, vem comigo,
ser o meu amigo
serás meu barco ,
"e neste mar de amor"...

Serás a vela ,
que há de conduzir-me,
onde a tristeza não existirá,
Porque amor, tu estarás em mim!

Dorothy de Castro 


quarta-feira, 15 de março de 2017

HORA DO AMOR



"Ele me chama pra fazer amor,
e tem que ser agora, naquela
horinha de Deus, depois....
a gente se fala, ou se cala 
se preciso for...por ora é só,
ele tem pressa de fazer amor!"

Dorothy de Castro


quarta-feira, 8 de março de 2017

EU ... MULHER!



Descubro em mim, admirável  força,
que não sabia existir ainda,
mas, existe... Embora triste eu seja,
a vida perdoando...Eu mulher!

Carrego as dores que escrevo em versos,
e ofereço à quem careça ler...
invejo a sina de quem tem o amor,
desejos ardejando...Eu mulher!

Relembro dele mil promessas loucas,
delírios juvenis fáceis de ter,
embora fossem ilusões viris,
seu corpo brasa ardendo...Eu mulher!

Atenta escuto agora o que me diz,
a vida mentirosa, a falsa vida,
que me fará seguir inconformada,
mulher de quem quiser...mulher,
mulher...Eu mulher!


Dorothy de Castro



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

ENLEVAR-SE...




...Depois de chegadas e partidas,
depois de adeuses e retornos,
depois disso, se racionalizar?
reconhecer erros primários?

E essa química que é física
e psíquica, como é que fica?
nossas alterações cerebrais,
pedindo sempre e sempre mais...

E dá pra gente escolher, entre
ter razão e se jogar? Não dá...
o desapego não rola, lembranças
acontecem, funcionam como drogas...

E nossa dependência química,
amorosa, faz parte da paixão...
é biológica, fisiológica e como for,
detectada, é extremamente amor!

Dorothy de Castro

domingo, 5 de fevereiro de 2017

GRITOS DE AMOR





Pedir à Deus que me renove a alma
que arranque do meu peito a solidão
que de andarilha já não tenha os passos
e outros braços não me busquem em vão...

Pedir aos céus que em presumidos voos
gaivotas passem rentes como antes
num desenhar de belas bailarinas
e tragam mais amor para os amantes...


Pedir aos mil fantasmas que me rondam
que afastem tantos beijos que imagino
respeitem por favor a minha dor...

Pedir que essa loucura seja breve
e se não for pra longe então me leve
pra não ouvir os gritos desse amor!


Dorothy de Castro


sábado, 4 de fevereiro de 2017

DESDÉM




Da minha boca desdenhou o beijo
das minhas mãos o toque desdenhou
e me atirou à rir num calabouço
onde não ouço me chamar de amor...


E os sonhos mais bonitos acordaram
depois do pesadelo a despedida
pobre de mim poeta na desdita
de ver morrer "a ilusão perdida"...

São mortos sim os versos que escrevi
e os dias que passei apaixonada
de nós nada restou não sobrou nada...

E minhas noites ermas surgirão
na sombra desenhada do teu rosto
exposto nos meus olhos...Solidão!


Dorothy de Castro  


domingo, 29 de janeiro de 2017

"A GATA COMEU"

     



A festa vai começar
presente do meu amor
pra ti e pra ninguém mais...

Quem sabe a paz
que esperamos chegue
agora... na hora de ser

Feliz... Me diz se é isso
que queres... eu entre
as outras mulheres...

As que gritam
como loucas rasgando
as roupas todas babadas...

Coitadas que pena
eu tenho e nem faço
empenho que fiquem...

Que forcem a barra
a farra é minha e o amor
chegou para mim é meu...

E a sua "gata comeu"


Dorothy de Castro Poeta;

sábado, 21 de janeiro de 2017

"COISAS DA VIDA"





Ele me disse que depois de mim
Não haverá um outro amor assim
E tudo que esse novo amor quiser
Ele dará assim que ela  vier...

Ele me disse que não vai amar
Com essa intensidade que me ama
Que eu sou a sua flor o seu jardim
Que sou a sua santa a sua dama...

Que a outra terá tudo do melhor
Terá o carinho que precise ter
O aconchego feliz do bom marido...
Talvez desejos de fiel líbido...

Ele me disse que depois de nós
Quando calar-se minha pobre voz
E a minha boca não beijá-lo mais
Não terá outra o seu amor jamais!


Dorothy de Castro

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

DE CORPO PRESENTE




Escapei,impune e impura
ou quase pura? escapei ilesa,
permaneci acesa, a te esperar...

Não exprimi , nem aspirei, a vida
que não fosse a tua, mas agora...
antes, não houve nada, tudo morto...

Destino torto e mal escrito feio,
e o corpo, quase não sente...
mente apenas e somente, mente...

E resta guardar no poete azul,
a corda  grossa do enforcamento...
amor ausente, e o corpo, tão presente!


Dorothy de Castro



Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute