domingo, 29 de julho de 2012

ONÇA MATUTA

Eu tenho olheiras fatais
e tenho mais...
Um jeito de  tirar a roupa
Uma  voz  rouca...
Gostinho  danado
De beijo  suado...
Mão que não para
E uma cara...
De onça matuta
De mulher puta...
Beijo no  espelho
Sinto o joelho...
Onde me esfrego
Quando me entrego...
Língua entre os dentes
Nós indecentes...
No  chão na  cama
Você  me ama?...


Dorothy de Castro       Poesias Pontilhadas



1 comentários:

evandro junior disse...

Bravo, nobre artista das letras e do sentimento erotizado! Passando e parabenizando-a uma vez mais.

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute