terça-feira, 10 de janeiro de 2012

EROTISMO POÉTICO

Me sinta...
Na base do teu falo,
Onde eu falo,
Coisas de amor...
Num deslisar da língua,
Tenho falado tanto...
Roçando de cima à baixo,
Num lambuzar de palavras...
E a duração do ato,
Vai depender da fome...
Homem de esfera impoluta,
Mulher cismarenta  e puta...
Poeta de uma flor bela,
Com clarice dentro dela...
Muito jeito de cecilia,
Uma enaltece, outra humilha...
Eu tenho a memória viva,
O gosto da tua boca,
Grita na minha garganta...
E é tanta paixão, é tanta,
Que desfalece...que mata!...


Dorothy de Castro  -   Orgasmo Poético



1 comentários:

evandro junior disse...

Simplesmente belo, sensacional, com esse teor de erotismo na medida exata, parabéns, poeta do bom gosto.

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute