quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O RETIRANTE

Mescla o poeta o  amor com dor
Esparramando a noite...
Quebra as estrelas e inocenta
a lua...que anda nua  no seu poetar...
Busca a saudade de um amor qualquer
Relembra os seios duros da mulher
E a boca fresca gosto de beijar...
Ser perdoado é tudo que ele quer
No mais a escrita permeando açoite
Rasga o papel num enfezado gesto...
Faz com carvão intolerável verso
E quem mandou nascer poeta,quem?
Que antes fosse um louco retirante
Para alcançar as léguas que inda tem...
Para fingir o amor como um amante
Sai ansioso a noite na caruda...
Declama à dama versos de Neruda!!!


Dorothy de Castro    -   Orgasmo Poético

0 comentários:

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute