sábado, 10 de novembro de 2012

CONTO CIGANO



A regra de uma quase virgem
Era ameaçar tocar, róseos mamilos..
Num movimento brusco, abrindo as pernas,
estremecia...
Queria o amado,ajoelhado sobre as suas costas...
Costelas desenhadas...
O vento morno, trazia o cheiro que a enlouquecia...
Deitada,ungia as pedras do chão, rumo ao peito nu...
Os dedos, deixavam escorrer o capim orvalhado...
Sentia falta do beijo na boca...da saliva...
Lembrava o Ciganismo,e se rodopiasse?
Levantou-se e dançou incansável, até cair à beira da praia arenosa...
num gozo de saudade... manchando a saia vermelha!

Dorothy de Castro....ESCRITO COM BATOM

1 comentários:

evandro junior disse...

Um dos poemas mais lindos que já vi, ou será um pequenino conto fascinante? Tanto faz, a julgar o passeio ardoroso da poesia em palavras tão febrís. És de qualquer forma divinal poeta, transformando a todos que te lêem em sequidores.

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute