quinta-feira, 19 de maio de 2011

GRITO DO AMOR

O amor me chama, grita
se declama...
Ah, esse amor de intimidade
rara, que diz que ama
E diz na minha cara...
Que não me esqueceu,
Que ainda é meu,
Meu luxo, meu bruxo
Minha jóia  rara...
Parece que inda vivo,
dentro do seu peito,
Que jeito existe então,
De não ser triste,
Meu triste coração...
Amor que faz lembrar
Todos os dias,
Ah, esse amor! quanto te quiz
Em mim...
Morri nos beijos que esperei
de ti,
Amei as tardes, quando me amavas,
Amei...amei...
E tu, por onde andavas???


Dorothy de Castro Orgasmo poético

0 comentários:

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute