sexta-feira, 1 de abril de 2011

ME DECLAMANDO...

Eu que à sonhar imaginei ser verso
Do teu poema  e até me declamei
Gritei pra que me ouvisse o universo
Não podes duvidar amor, te amei...

Eu que trancada permaneci contigo
Num quarto azul de lúbricos  prazeres
Lá foste meu amante, meu amigo
Lá me deste teus cantos, teus dizeres...

Como crianças, mãos entrelaçadas
Andamos pela tarde ensolarada
Em  nossos olhos fachos de paixão...

E ainda que tu queiras eu não deixo
Que esqueças os meus beijos no teu queixo
E os  nossos banhos lá no ribeirão!!!


Dorothy de Castro Autora Orgasmo Poético

1 comentários:

Paulo Alvarenga Poetano disse...

maravilhoso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!mae que isso tdb

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute