sexta-feira, 25 de março de 2011

MEU FADO

Sempre à procura de noticia tua
Eu vago dia e noite pra saber
Se fazes versos novos e ao fazer
Pedes quem sabe mil perdões à lua...

Ela que viu com olhos taciturnos
A nossa sombra à caminhar na noite
Ela que tremulou quando os açoites
Varavam  em beijos lubricos noturnos...

E se nos versos que escreves sobre nós
Fazes quem sabe uma alusão qualquer
À  mal fadada  e infeliz mulher ...

Essa que sou por ter amado tanto
A louca que se esconde atráz do manto
Que implora ouvir de novo a tua voz!!!


Dorothy de Castro Autora Orgasmo poético

1 comentários:

Gil Ordonio disse...

Você é simplesmente fantástica!!!!!
Parabéns!

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute