quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

E S C U L T U R A

Quem sabe sejas pra mim o mais perfeito
Amor que canto incessantemenete...
Quem sabe sejas meu maior presente
O que acalento aqui dentro do peito...

Quero moldar-te como uma escultura
Embora eu seja artista de mentira
Mas à partir de agora em minha mira
Te tenho, eu juro e ninguém tira...

A solidão que sentes, também sinto
A carência que tens, eu também tenho
Me bebe então, eu sou teu absinto...

E te ofereço a boca para os beijos
Pra isso estou aqui, por isso eu venho
De resto... mato amor, os seus desejos!!!


Dorothy de Castro Autora Orgasmo Poético

0 comentários:

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute