terça-feira, 19 de outubro de 2010

NAVALHA NA CARNE

Quero pra mim meu amado,
Teus suspiros, teus gemidos...
Que fiquem nos meus ouvidos,
Como sangue derramado...

Como prova de delicias,
Como resumo da história,
Como a glória das carícias,
Na palma das tuas mãos...

Quero a luxúria do beijo,
Que nunca tive , na boca,
Quero essa volúpia louca.
Do nosso amor consumado...

Quero na carne, a navalha,
Me cortando entre os desejos,
E quero ainda os lampejos,
Que a minha pele retalha...

E esse teu fruto dourado,
Quero pra mim... meu amado!!!

Dorothy de Castro- Autora Orgasmo Poético

1 comentários:

Paulo Alvarenga Poetano disse...

demais demais demais !!!!!!!showwwwwww

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute