sábado, 29 de agosto de 2009

SEM ÓDIO

Quero de novo poder abrir os braços,
E sentir a liberdade  que me foge,
Numa manhã de setembro...
Esquecer a tortura  do medo
que se apossa de mim.
Renascer para a vida
sem portas fechadas,
sem solidão... sem angustia!
Sem imaginar os fantasmas,
que querem me abordar...
Quero ter o direito de sorrir,
e de novo abraçar meus fillhos !
Preciso deixar de ser triste,
preciso amar... ter sonhos,
e espantar esse maldito habitante,
que vive aqui dentro do meu peito,
O ódio!
Eu tenho êsse direito!!!

Dorothy de Castro

1 comentários:

Poesias Enamoradas disse...

Esses sentimentos minha mãe, creio em Deus que todos nós estamos esperando e voltar a ser aquela
família que sempre fomos, alegres...!

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute