quinta-feira, 23 de julho de 2009

ESCREVENDO O AMOR


TUDO ENTRE NÓS
É FUSÍVEL.
EU TE CATIVO E TE ENCANTO,
SERPEANDO SINUOSAMENTE,
MEU RUIVACENTO,
CABELO DE MULHER...
E VOCE, HOMEM MARIANTE,
DE FORMA NEVOAÇA
EM MINHA VIDA,
COM OLHOS ENAMORADOS,
LÚCIDAS VENTURAS...
TUDO ME CHAMA,
QUE CHEIRO, QUE LEMBRANÇA,
QUE SAUDADE !
O AMOR DESARRUMADO,
HABITA EM MIM...
E PASSA A COMANDAR
MINHA VONTADE.
NUM METAMORFISMO
A LINGUA NA BOCA,
SENTINDO A CARNE DOCE,
NUM MOMENTO INSÓLITO,
OS LÁBIOS NEVADOS...
E TUDO QUE SE QUIZ,
FOI O BEIJO...
DESSE AMOR ESCRITO À GIZ !!!

Dorothy de Castro

1 comentários:

Poetano disse...

adorei mãe o poema e seu ruivacento cabelo!

Postar um comentário

Poesias Pontilhadas © 2008. Design by :Yanku Templates Sponsored by: Tutorial87 Commentcute